Listas

Os livros indicados por Lula

Para todos os gostos

O que fazer quando se está na situação de preso político, com uma quantidade enorme e inédita de tempo livre? Aproveitar para devorar uma lista grande de livros parece uma bela ideia e é exatamente isso que tem feito o presidente Lula, em Curitiba.

Veja aqui alguns dos volumes literários já lidos por ele:

 

 

 

“A Elite do Atraso – Da Escravidão à Lava Jato”, de Jessé Souza

 

O sociólogo fala sobre as origens de nossa sociedade e defende a tese de que a escravidão ainda é um de seus fatores determinantes, apesar de já contarmos com mais de um século após sua abolição oficial. Ele denuncia um pacto dos que detêm o poder para perpetuar uma ordem social cruel e permanentemente desigual.

 

 

“Homo Deus”, de Yuval Noah Harari

O jovem historiador israelense une ciência, história e filosofia para contar o que chama de “uma breve história do amanhã”. Aliando uma visão original do passado com análises sobre a tecnologia, Harari tenta analisar como devem ser os próximos passos da evolução humana.

 

 

 

 

“Laika”, de Nick Abadzis

A história da cachorrinha Laika, o primeiro ser vivo a ser enviado ao espaço, é contada nessa premiada HQ. Laika entrou em órbita no ano de 1957, tornando-se uma da heroínas da então União Soviética que, em tempos de Guerra Fria, disputava com os EUA a supremacia espacial.

 

 

 

 

“Os Beneditinos”, de José Trajano

O famoso jornalista esportivo escreveu esse romance sobre um homem de meia-idade em crise que descobre por acaso o walking football: um tipo de jogo de bola ideal para quem tem mais idade. Neste futebol, é proibido tirar os dois pés do chão, tornando as partidas obrigatoriamente lentas. O livro é o último de uma trilogia biográfica.

 

 

 

“Amor nos Tempos do Cólera”, de Gabriel Garcia Márquez

Esse clássico do mestre colombiano do realismo fantástico conta a história de um amor que sobreviveu por décadas, mesmo sem contato algum, entre um homem e uma mulher.

 

 

 

 

 

“Vá, Coloque Um Vigia”, de Harper Lee

Esse livro é a sequência de “O Sol Nasceu para Todos”, premiado romance considerado um marco na discussão por igualdade racial e direitos civis nos EUA durante a década de 1960. Descoberto em 2015, um ano antes da morte da autora, o manuscrito trazia a volta dos personagens na segunda parte de uma história que originalmente seria uma trilogia.

 

 

 

 

“Feminismo Em Comum – Para Todas, Todes E Todos”, de  Marcia Tiburi

Nesse livro, a filósofa e escritora nos convida a pensar de forma crítica tanto o feminismo como o patriarcado, assim como questionar os modelos tradicionais de relações entre os gêneros e a existência de verdades absolutas.

 

 

 

“O Último Cabalista de Lisboa”, de Richard Zimler

O romance histórico retrata um episódio terrível e pouco conhecido da História de Portugal: o massacre de Lisboa de 1506. Na ocasião, o país passava por uma seca terrível e a população católica creditou a situação à heresia dos judeus que lá moravam, resultando em três dias de violência, nos quais cerca de duas mil pessoas foram torturadas e mortas, incluindo homens, mulheres e crianças.

 

 

 

“Um Defeito de Cor”, de Ana Maria Gonçalves

Outro romance histórico, desta vez sob o ponto de vista de uma mulher escravizada durante o século 19, trazida ao Brasil da África. Sua vida, amores, tragédias e lutas na Bahia são narrados de forma contundente e original pela autora.

 

 

 

 

“Dois Cigarros”, de Flávio Gomes

O romance de estreia do jornalista Flávio Gomes conta a história de um encontro improvável entre um homem e uma mulher, unidos pelo acaso, que embarcam em uma viagem por cidades brasileiras e europeias.

 

 

 

 

 

“Quem Manda No Mundo?”, de Noam Chomsky

O famoso pensador americano – e apoiador público de Lula – analisa aqui as mudanças ocorridas na ordem política internacional neste século e a contínua dominância dos EUA. No posfácio, Chomsky aborda a eleição de Donald Trump e o referendo que determinou a saída do Reino Unido da União Europeia.

 

 

 

 

“A Poeira e a Estrada”, de Maciel Melo

Poesias e lembranças são a matéria-prima usada pelo músico e escritor pernambucano Maciel Melo em seu romance autobiográfico.

 

 

 

 

 

 

“Esquerda do Mundo, Uni-vos,” de Boaventura de Sousa Santos

O sociólogo português analisa o avanço da direita em vários países, incluindo o Brasil, e a experiência em seu país, que é hoje o único governo de esquerda na Europa. Boaventura apresenta propostas de médio e longo prazo para os grupos alinhados em conter o neoliberalismo.

 

 

“A Melancia do Presidente”, de Wellington Dias

Antes de ser político profissional, o governador do Piaui já era escritor publicado. Nesse romance, ele reuniu 23 contos, ou “causos”, ambientados em seu estado e também na Paraíba, Ceará e Pernambuco.

 

 

 

 

“Belchior – Apenas Um Rapaz Latino-Americano”, de Jotabê Medeiros

O crítico musical concluiu a biografia do cantor pouco antes de sua morte, no ano passado. Na biografia são esmiuçados períodos pouco conhecidos da trajetória do cantor, como o período passado em um seminário religioso, antes de embarcar na carreira artística.

 

 

 

“O Voto do Brasileiro”, de Alberto Carlos Almeida

Lançado no primeiro semestre, o cientista social analisou o processo eleitoral brasileiro e previu que as eleições deste ano seriam monopolizadas por PT e PSDB. Almeida considera que candidatos populistas não repetiriam por aqui o fenômeno de Donald Trump nos EUA por uma série de diferenças fundamentais.

 

 

 

“O Sol na Cabeça”, de Geovani Martins

Considerado um dos grandes nomes da nova geração de escritores, Geovani Martins estreia com uma série de contos que retratam a vida de moradores, crianças e jovens das favelas cariocas. UPPs, rolezinhos e a relação tensa com a população da zona sul da cidade e a polícia dão o tom.

 

 

 

“O Último Judeu – Uma História de Terror na Inquisição”, de Noah Gordon

O livro conta a história de um adolescente que, no final do século XV, presencia a morte de sua família na Espanha, que na época proibiu a presença de judeus em seu território. Recusando-se a converter-se católico, Yonah Toledano passa a vagar por zonas ermas espanholas, lutando pela sobrevivência enquanto sonha em transmitir a religião para seus futuros herdeiros.

 

 

“Thomas Piketty e o Segredo Dos Ricos”, de vários autores

Organizado pelo Le Monde Diplomatique Brasil, o livro traz textos do economista francês Thomas Piketty sobre a concentração de riqueza em países desenvolvidos e sua consequência para a economia, o meio ambiente e a democracia. Além disso, coleta textos de outros pensadores sociais sobre estas ideias como Samuel Pinheiro Guimarães, Ladislau Dowbor, Russell Jacoby, Kostas Vergopoulos e Luiz Gonzaga Belluzzo.

LEIA TAMBÉM